O INSTITUTO CULTURAL STEVE BIKO foi fundado em 31 de julho de 1992, por iniciativa de professores e estudantes negros e negras que - de forma pioneira - criaram o primeiro curso Pré-Vestibular voltado para negros no Brasil. Em muitas reuniões nos jardins da Faculdade de Economia da Universidade Federal da Bahia, no centro de Salvador e embasados nas lutas antirracistas ao redor do mundo, viu-se a urgente necessidade de reunir a militância negra em nível nacional ao redor da Educação. O Instituto surge, então, buscando a inserção dos negros no espaço acadêmico como estratégia para sua ascensão social e o combate à discriminação racial.

 

A Educação do Instituto nasce já diferenciada, a partir do resgate dos seus valores ancestrais de seus estudantes, baseado no Movimento de Consciência Negra difundido pelo sul- africano Bantu Stephen Biko na África do Sul. Daí, o nome Instituto Cultural Beneficente Steve Biko, escolhido em homenagem a um dos mais ferrenhos combatentes contra o regime de segregação racial do Apartheid.

 

Em sua pedagogia, o Instituto diferencia-se pela disciplina Cidadania e Consciência Negra – CCN -, que pauta em sala de aula, a autoestima e as lutas do povo negro no combate ao racismo. Na disciplina, estudantes são levados a resgatar a cultura afrobrasileira, destacando a religiosidade, a ancestralidade e trajetória de ativistas referências na luta contra as desigualdades. Com isso, a Biko busca influenciar a postura e pensamento dos jovens negros.

 

O INSTITUTO CULTURAL STEVE BIKO é, hoje, reconhecido em meio as principais organizações dos movimentos sociais na Bahia e no Brasil, já tendo recebido, inclusive, o Prêmio Nacional de Direitos Humanos (1999) e o Prêmio Cidadania Mundial, outorgado pela Comunidade Bahái do Brasil, em 2003. Todos seus projetos são financiados por meio de apoio com de Instituições e empresas nacionais e internacionais, além de investimento social de pessoas físicas de diversos lugares no mundo.

 

São seus projetos em curso:

  • O Curso Pré-Vestibular, preparando 70 jovens negros e negras para as Universidades; 

  • O Programa Oguntec, formando e estimulando 35 estudantes nas áreas das Ciências e Tecnologias;

  • O Programa de Intercâmbio, que consiste na troca de experiências, visitas, palestras, etc. com alunos negros e negras de outros países.



DIRETORIA

Jucy Silva
Diretora Executiva

Tarry Cristina Santos Pereira
Diretora pedagógica 


Lázaro Cunha 
Diretor de Projetos Especiais

Sérgio Correia
Diretor de Comunicação

Carlos Eduardo Gusmão
Diretor Financeiro